Nicho de Mercado que chegou a movimentar 226 bilhões em 2019
mobiliza empresas e entidades junto ao poder público

Em anúncio feito pelo governador Eduardo Leite ontem, foi comunicado que o Governo do Estado irá liberar nos próximos dias a realização de eventos corporativos e comerciais, o que inclui feiras, exposições, seminários, congressos, simpósios, palestras, treinamentos, oficinas e similares. Leite destacou que os protocolos serão divulgados na próxima semana e foram estabelecidos após a realização de eventos-teste. A flexibilização será oficializada em decreto na próxima segunda-feira, dia 21/9.

O Conrerp4 tem acompanhado e apoiado as articulações e movimentos neste sentido, através de seu presidente, Luiz Fernando Muñoz, uma vez que a organização de eventos é uma das atividades mais desenvolvidas pelos profissionais de Relações Públicas. Grupos como o Live Marketing RS, os quais o órgão de classe dos RP integra, buscam conjuntamente somar esforços entre entidades, empresas do setor e as autoridades para soluções e alternativas na retomada das atividades do setor. Como recente iniciativa para tratar desta questão, foram realizados eventos-teste, em Gramado e Porto Alegre. Neste movimento também se destacam as participações da Convention Visitours Bureau Porto Alegre, Abeoc RS e Agepes.

O Grupo Live Marketing RS, no dia 15/9, participou de mais uma reunião com os representantes técnicos e autoridades do governo do Estado do RS. Durante o encontro, que aconteceu de forma virtual, houveram elogios à organização dos eventos-teste de Porto Alegre por parte dos representantes do Estado, ocorridos em 11/9, sexta-feira, na Fiergs e no domingo, 13/9, no Auditório Araújo Vianna. Já os secretários Gastal, titular da Governança e Gestão Estratégica e Lorenzoni, do Desenvolvimento Econômico e Turismo, além de elogiarem os eventos-teste, foram enfáticos na necessidade de uma resposta definitiva, como ocorreu ontem na live semanal do governador, pois, hoje, não é mais apenas uma exigência do segmento empresarial, mas da sociedade, acredita Lorenzoni.

Muito se tem noticiado sobre o forte impacto sofrido pelo setor de eventos em 2020. O advento da pandemia em 2020 somado ao moroso retorno do poder público, causou perda de muitos empregos e postos de trabalho. Segundo estudo da NewSense, encomendado da Ubrafe – União Brasileira dos Promotores de Feiras, os eventos de negócios são os que melhor representam o Face to Face (ou Live Marketing) no país. Em 2019, esse nicho chegou a corresponder a 4,3% do PIB nacional. Ainda é cedo para avaliar o montante do prejuízo, mas devido à queda acentuada da realização de eventos no geral muitas entidades e empresas desse nicho de mercado buscam alternativas para reverter esse processo. Esta área de negócios, que promove experiências de marca, relacionamento aproximativo com os públicos de interesse das organizações (networking), dentre outras ações que contribuem com desenvolvimento de quem as promove, garante altíssimo retorno do investimento. A cada R$ 1 investido nestes eventos, pode resultar em até R$ 35 de retorno, avaliou a pesquisa.