Data celebrativa promove boas práticas no ambiente de trabalho

Dia 28/4 é celebrado o Dia Mundial da Segurança e da Saúde no Trabalho, data instituída pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) e, aderida no Brasil através da Lei 11.121/2005. A Data é um marco de conscientização para adoção de boas práticas para a segurança e integridade dos trabalhadores em ambientes laborais. Com o surgimento da Pandemia do Coronavírus, medidas como uso de máscaras, higienização constante das mãos e distanciamento social entraram no rol de medidas necessárias para preservar a vida dos indivíduos.

Uma cultura nacional de segurança e saúde ocupacional consiste em proporcionar um ambiente de trabalho seguro e saudável. Para que isso ocorra, tanto a iniciativa privada quanto os órgãos governamentais, bem como trabalhadores devem fazer a sua parte para que ações preventivas sejam divulgadas, internalizadas e realizadas em todos os ambientes de trabalho. E qual a relação com a profissão de relações Públicas? Em muitas organizações os profissionais desta área são incumbidos de desenvolver as campanhas de comunicação interna que vão implantar estes programas de segurança e saúde do trabalho. Cientes da importância desta pauta, o Conrerp4 traz alguns conceitos para conhecimento de quem desejar saber mais sobre o tema:

O que é adoecimento ocupacional?

É qualquer alteração biológica ou funcional (física ou mental) que ocorre no organismo em decorrência do exercício do trabalho. Pode ser consequência da exposição a riscos ambientais, tais como riscos químicos (ex.: poeiras, fumos, névoas, neblinas, vapores, gases e substâncias ou produtos químicos em geral), físicos (ex.: ruído, vibrações, radiações, frio, calor, umidade) e biológicos (ex.: vírus, bactérias, protozoários, fungos, bacilos e parasitas). Decorrem, também, de problemas na organização do trabalho, ocasionando sobrecarga física ou mental.

O que é acidente de trabalho?

Conforme dispõe o art. 19 da Lei nº 8.213/1991, “acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho dos segurados referidos no inciso VII do art. 11 desta lei, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho”.

  • Doença profissional é a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho, peculiar a determinada atividade e constante da respectiva relação elaborada pelo Ministério do Trabalho e da Previdência Social.
  • Doença do trabalho é a adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relacione diretamente.

Como prevenir acidentes de trabalho?

Todas as lideranças das organizações devem ter em mente a importância de implantar ações práticas para amenizar situações da rotina laboral que põem em risco a integridade de seus colaboradores. Nessa perspectiva, seguem algumas estratégias que poderão ser úteis ao alcance desses objetivos:

  • Invista em equipamentos de qualidade: Um dos passos mais relevantes para evitar acidentes de trabalho é investir em equipamentos de proteção adequados à necessidade da função. A atenção ao uso dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPI) é um requisito básico para manter a empresa em conformidade com a legislação e preservar a saúde de seus aliados.
  • Faça manutenção em máquinas e equipamentos: É certo que a tecnologia promove facilidades que ajudam a flexibilizar diferentes soluções para os espaços corporativos. No entanto, o cuidado com o controle funcional das máquinas sempre estará a cargo dos profissionais responsáveis pela manutenção dos equipamentos.
  • Evite apressar o trabalho: Manter a organização, fazer um bom planejamento e seguir um cronograma são passos cruciais para trabalhar com tranquilidade, além de ajudar a cumprir prazos e metas. Isso evita a necessidade de trabalhar sob pressão e elevar o risco de provocar acidentes que poderiam ser evitados.

Fontes:

Associação Nacional de Medicina do Trabalho, Ministério do Trabalho. Adoecimento ocupacional: um mal invisível e silencioso (cartilha, 2017) e Organização Internacional do Trabalho (OIT)